terça-feira, 3 de setembro de 2013

Plano de Rigging


Pano de rigging é o planejamento documentado da movimentação de cargas com guindaste móvel, que visa a otimização dos recursos aplicados na operação  para se evitar acidentes e perdas de tempo. Ele indica, por meio do estudo da carga a ser içada, das máquinas disponíveis, dos acessórios, condições do solo e ação do vento, quais as melhores soluções para se fazer um içamento seguro e eficiente. O plano é geralmente elaborado por um profissional com conhecimento na área de movimentação de cargas.

A elaboração do plano de rigging geralmente é baseada em parâmetros estabelecidos pelas próprias empresas de movimentação, tais como a altura do içamento, o peso e geometria da carga, se o trabalho mobiliza um ou mais equipamentos e outras condições. O Brasil não dispõe de uma legislação clara sobre o assunto, que regulamente tanto a execução do plano de rigging quanto a profissão do responsável pela sua elaboração.

 O plano de rigging deve conter no mínimo:

 Todas as informações básicas e todos os parâmetros de segurança estabelecidos por normas e pelo fabricante do guindaste envolvido em todas as fases operacionais, desde o transporte até o posicionamento final;

Definição da área necessária para o posicionamento da peça, para a montagem e operação do guindaste, levando em consideração o local, os acessos e as interferências;

Cálculos, dimensionamentos e listas de materiais de todos os elementos aplicados pata ligação entre o guindaste e a peça, tais como; Eslingas, acessórios em geral, balancins, etc..

Configuração do guindaste com a definição de todas as cariáveis e recursos do guindaste, tais como : Raio de operação, comprimento de lança, contrapeso, moitão, passadas de cabo, utilização de jib, mastros, etc...

Seleção do guindaste mais adequado ao tipo de operação, buscando a melhor estratégia de içamento, com segurança e economia;

Identificação completa do guindaste selecionado tais como; Tipo, marca, modelo, série, capacidade nominal, etc...

Demonstrar cálculos específicos e fatores de segurança aplicados para o içamento considerados de “alto riso”, tais como: guindaste embarcado, içamento com 2 ou mais guindaste, içamento na barreira de barrancos, sobre pontes, demolições, proximidade de redes elétricas, etc...

Apresentar parâmetros de segurança obtidos na solução, tais como: porcentagem de utilização do guindaste, capacidade bruta tabelada, tabela de carga aplicada (% de tombamento), etc...

Composição de carga bruta aplicada ao guindaste, discriminando todos os itens envolvidos e os fatores de segurança exigidos;

Cálculo de fatores que podem influenciar na segurança da operação, tais como: força na sapata, pressão nas esteiras, velocidade máxima de vento permitida para a operação, etc..

Definir folgas das interferências locais bem como da lança com a peça. Prever cuidados especiais em função de condições locais como: isolamento da área, sinalização visual, aterramento do guindaste, iluminação artificial, etc..

Prever folgas normalizadas para o movimento do guindaste tais como: andar com a carga, giro do contrapeso próximo às interferências, etc...

Apresentar todo o “Plano de Rigging” através de desenhos técnicos com todos os detalhes inteligíveis, juntamente com a “Memória de cálculo” e tabelas aplicadas.



Abaixo relaciono algumas NBR's que podem ser utilizadas para elaboração dos planos de rigging:

NBR 7500:2013 – Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamentos de produtos
 NBR 14768:2012 – Guindaste articulado hidráulico – requisitos
 NBR 7557:1982 – Guindastes de pneus
 NBR 8400:1987 – Cálculo de equipamentos para levantamento e movimentação de cargas
 NBR 10070:1987 – Ganchos – Hastes forjados para equipamentos de levantamento e movimentação de cargas – Dimensões e propriedades mecânicas
 NBR 11436-1988 – Sinalização manual para movimentação de carga por meio de equipamentos mecânicos
 NBR 13545:2012 – Movimentação de carga – Manilhas
 NBR ISO 4309:2009 – Equipamentos de movimentação de carga – Cabos de aço – Critério de inspeção e descarte
 NBR 15637:2012 – Cintas têxteis para elevação de cargas
 NBR 15883:2010 – Cintas têxteis para amarração de cargas




"Entre o forte e o fraco, entre o rico e o pobre, entre o patrão e o operário, é a liberdade que oprime, e a lei que liberta."
(Abade Lacordaire)




Modelo de Plano de Rigging 

  
Manual de Segurança Rigging
(em inglês)
  
Guia para Rigging
(em inglês)
 

Manual de diretrizes de equipamentos
especializados de içamento
(em inglês)
  
Guia de operações de Içamento


Práticas de Segurança para Gruas
(em inglês) 

  
Acidente com Guindaste patolado em
Barranco/Talude sem estabilidade

Acidente envolvendo vários guindastes
New Delhi

Dimensionamento incorreto da cinta
e/ou falta de inspeção das condições da cinta 
  
O perigo da proximidade de redes elétricas
em içamentos

Dimensionamento incorreto da carga
 e equipamentos de içamento
  
Lamentável
Dimensionamento incorreto no içamento!?
Itaquerão 

 
Análise de Acidente Fatal
(Falta de sinalização e isolamente) 

Animação de içamento de cargas - 1

Animação de içamento de cargas - 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário